O que são dividendos? Como funcionam? Entenda aqui!

Se você alguma vez já estudou sobre investir na bolsa de valores, deve ter ouvido falar de dividendos. Afinal, essa é uma modalidade de investimento muito utilizada entre os investidores mais experientes. Mas, afinal, o que são dividendos? Como funcionam? Quais são as taxas envolvidas? Neste post responderemos estas e outras perguntas relacionadas ao recebimento de dividendos. Portanto, continue a leitura e saiba mais detalhes.

O que são dividendos?

Dividendo é o lucro líquido de uma empresa dividido entre seus acionistas. Esse valor é pago aos acionistas para incentiva-los a adquirir ações da empresa e injetar, desta forma, dinheiro no negócio. É uma forma muito comum de captar investidores e fazê-los comprar o maior número de cotas possível. Afinal, o valor que cada investidor recebe em dividendos é proporcional à quantidade de cotas que ele possui na empresa.

Como funciona o pagamento dos dividendos?

De acordo com a LEI No 6.404, DE 15 DE DEZEMBRO DE 1976, todas as empresas que tiverem lucro líquido devem distribuir parte deste valor entre seus acionistas, através dos dividendos. O valor dos dividendos depende do que foi estabelecido no estatuto da empresa. Entretanto, aqui no Brasil, o valor mais praticado é 25% do lucro líquido total da empresa.

Cada empresa paga os dividendos em períodos diferentes, algumas pagam anualmente, outras semestralmente, ou até de forma trimestral. Ademais, a empresa pode pagar os dividendos de diferentes formas: tanto em dinheiro na conta do investidor, quanto em mais ações da própria empresa. Entretanto, antes de efetuar os pagamentos dos dividendos, as empresas precisam cumprir algumas etapas, entre elas aprovar e divulgar os lucros do período respectivo e os valores que serão distribuídos.

Como calcular o rendimento dos dividendos?

Os valores pagos aos acionistas são os valores que sobram após a empresa decidir quanto vai reinvestir no negócio e após serem pagos todos os encargos pertinentes. Todos esses valores devem ser discriminados pelas empresas, através dos relatórios emitidos aos investidores. Esses relatórios servem para que os acionistas possam justamente acompanhar a saúde financeira da empresa e entender os dividendos que receberão.

O indicador mais usado para calcular o rendimento dos dividendos é o Dividend Yield (DY), em português, Rendimento de Dividendos. Ele serve para indicar aos investidores qual a relação entre o valor atual da ação e o valor pago por dividendos. Porém, apesar de parecer um termo complexo, é muito fácil de efetuar esse cálculo. Veja abaixo como é simples a fórmula de cálculo do DY:

Dividend Yield (DY) = (Dividendos pagos por ação) / (Valor unitário da ação) * 100

Taxas do Investimento em Dividendos

Se você pretende começar a investir em ações e/ou viver de dividendos, é necessário que você conheça todas as taxas cobradas neste tipo de operação. Por isso, trouxemos para você todas as taxas envolvidas nestes investimentos.

Taxa de corretagem

Ao comprar ações com intuito de receber no futuro seus dividendos, você precisa fazê-lo através de uma corretora. A taxa de corretagem é o valor que você pagará à esta corretora, que intermediará a compra das suas ações. Cada corretora cobra um valor diferente, de acordo com os benefícios que elas oferecem e da sua autoridade no mercado financeiro. Este valor pode ser um valor mensal fixo, um percentual do valor da ação ou um valor fixo por operação. A boa notícia é que existem corretoras que não cobram esta taxa, por isso pesquise bem antes de escolher a sua.

Imposto Sobre Serviço (ISS)

O imposto sobre serviço é um valor cobrado sobre o valor da taxa de corretagem. Entretanto, algumas corretoras não cobram esse valor, pois já o incluem na taxa de corretagem. As corretoras que cobram o ISS costumam cobrar entre 2% e 5% da taxa de corretagem, dependendo do estado do Brasil onde ela está sediada.

Taxa de Manutenção da Custódia

Depois de compradas as ações para ter direito ao recebimento de dividendos, elas ficam guardadas na Câmara de Ações. A taxa de manutenção da custódia é o valor cobrado mensalmente dos investidores com a finalidade de cobrir os custos gastos para administrar estas ações na câmara de ações. Entretanto, a cobrança só ocorre nos meses em que existem ativos em custódia.

Taxa sobre o Valor em Custódia

Já a taxa sobre o valor da custódia é um valor cobrado pela B3, com o objetivo de cobrir os custos de “armazenamento” das ações. Não é um valor fixo, pois varia de acordo com as posições em aberto no último dia útil do mês de referência.

Emolumentos e Taxa de Liquidação

A B3 e a Câmara de Ações cobram emolumentos e taxas de liquidação para garantir que sejam efetivadas todas as suas ordens enviadas. Estes valores são percentuais fixos do valor negociado e são diferentes se a operação for finalizada dentro do dia ou não.

Imposto de Renda (IR)

As pessoas físicas são isentas de pagar imposto de renda sobre dividendos. Você só pagará IR sobre os seus rendimentos se você for uma Pessoa Jurídica.

Conclusão

Agora que você já sabe o que são os dividendos, como são pagos e quais as taxas envolvidas neste tipo de investimento, você já está apto para começar a para montar sua carteira de investimento. Pesquise muito bem antes de começar a comprar as ações e dê preferência às empresas que possuem historicamente um bom Dividend Yield (DY). Note que este é um investimento relativamente seguro, pois há inclusive pessoas que vivem de dividendos, ou seja, toda a sua renda mensal vem do lucro das suas ações.

Deixe um comentário